ADSTRINGE A GOELA

BD-Danae-Klimt

Um brinde acre!

Quando quase podres as uvas nos pés conseguiu-se salvar a safra

os deuses riem lambuzados de vinho
e um rio de lágrimas nos transporta
e palavras escorrem das bocas
pacíficas
bélicas
ávidas

Reluziu numa BOCARRA opulenta
dentes de ouro

Quantas moedicas doiradas engolira o peste?
Quero dentes d’oiro bruto! Pra sorrir feito um sol,
pra beber a vida sem corroer-me
E só me bastam 2 vinténs! Evoé, Oxalá!

Este poema integrou “VINAGRE: UMA ANTOLOGIA DE POETAS NEOBARROCOS”, é possível baixá-la aqui ou ler online aqui

– Imagem: “Danae” Gustav Klimt

RAÍZES DO PÉ

  cartaz1

Duas amigas queriam fazer um cordel. Uma sabia escrever, a outra imagetizar.
A ideia criou vida, foi tomando seus próprios caminhos e hoje este cordel de formato atípico é espalhado pelas ruas de onde ambas passam.

Ladeira da Misericórdia – Olinda, Pernambuco

Ladeira da Misericórdia – Olinda, Pernambuco

“com a palma dos pés

conhecer

os adentros moventes”

 “peregrinar

ao motivo

da lágrima”

“a sola no solo
abre vias
que vão
do homem à terra
da terra ao homem”

São 8 poemas diferentes, escritos nas bordas de uma xilogravura – sempre a mesma imagem-símbolo, centralizada. O nome “raízes do pé” surgiu antes, e ficou como título.

 

Ponte Duarte Coelho – Recife, Pernambuco

Ponte Duarte Coelho – Recife, Pernambuco

“a raiz da palavra
caminha
pelo tempo”                     

“estar
nas extremidades
extravasar
dos interiores”       

“penetrar
os poros
do perene”

Centro histórico de João Pessoa, Paraíba

Centro histórico de João Pessoa, Paraíba

Represa Billings - São Bernardo do Campo - SP

Represa Billings – São Bernardo do Campo – SP

A ideia continua em constante transformação – respira e absorve a poesia dos locais por onde passa. Sendo assim, está aberta para futuras derivações, viagens, figuras, transportes e pessoas que queiram compartilhar arte e…

…”com a palma dos pés
conhecer
os adentros moventes”